segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Conheci a Elza

Muito se falou de roubos no SPFW e hoje eu assisti a "alguns".

Enquanto aguardávamos o início do desfile do Alexandre Herchcovitch, uma menina chamou a minha atenção. Ela foi até a segunda fileira, pegou a sacola de brinde e saiu. A dona do lugar chegou no momento em que a menina saía e foi assim que presenciei uma das cenas mais cômicas do SPFW até o momento.

"Este brinde é meu", bradou a senhora chiquérrima que chegou no momento do "furto".

"Agora é meu", retrucou a menina e virou de costas.

A mulher puxou a sacola e as duas ficaram brigando pelo brinde até a assessora chegar e fazer a menina devolver. Ela saiu retrucando que não era justo e foi para o seu lugar, onde continuou olhando à volta para ver se encontrava algo. Nisso ela viu um mini Punto, que era um dos brindes que vinham dentro da sacola, e pegou sem pensar duas vezes. A assessora novamente viu o furto e pediu para ela devolver e ela só devolveu quando lhe foi oferecido um boné no lugar. Ela enfiou o boné na cabeça e se sentou.

Nessa hora eu me levantei para conversar com um amigo e fui até a fileira B, que estava lotada. Chegou um homem reclamando que o lugar era dele e aí um grupo de seis pessoas se levantou, cada um com sua sacola também "roubada", e foi procurar outro lugar. O homem, muito fino, não reclamou que seu brinde estava sendo furtado.

Quando volto ao meu lugar, noto que o grupo tinha se sentado exatamente na frente da menina mão-leve, que a essas alturas já tinha virado a Elza do evento. Metade se levantou e saiu, aí a Elza olhou na cadeira, sorriu feliz e pegou uma sacola na maior cara de pau.

"Ei, essa sacola é minha!"

"Era", respondeu a Elza abraçada à sacola.

Como a sacola já tinha sido roubada uma vez, ele não tinha como reclamar. Ladrão que rouba ladrão.... Todo mundo já sabe.

O restante do grupo voltou e uma outra menina, que era a dona da sacola roubada, começou a discutir que ela não podia simplesmente pegar algo que não era dela. Mesmo assim a Elza não abriu mão, abraçou a sacola, fez cara de choro e disse que não ia devolver.

Claro que depois disso, a Elza ainda conseguiu pegar autógrafos do Zeca Camargo driblando fotógrafos e da Luciana Mello, sempre com a sacola à tiracolo e passou o desfile inteiro abraçada no maior objeto de desejo da maioria que se encontrava naquele desfile.

E foi assim que finalmente eu conheci a Elza, uma garota de pele muito branca, cabelos compridos loiros e que disputa o troféu cara-de-pau com o ladrão do notebook no lounge da Caras.

[Lalai]

3 comentários:

ematoma disse...

O pior é que a maioria dos brindes é uma bobagem sem igual, pura gula deslumbrada.

ivaldo disse...

por que não mostraram a cara da Elza, a leoa ladra? ela adoraria ter posado para um blog qualquer...

Marti disse...

Esse post me fez lembrar de desenvolvimento moral, um conceito da psicanálise. Tem gente que simplesmente não respeita a lei, os outros, nada! Que nojo.